quinta-feira, 24 de setembro de 2015


O outro é sempre estranho, estrangeiro, louco, esquisito, alteridade

A diferença que o outro traz  coloca em cheque as minhas próprias crenças, por isso ameaça meu status quo 

O outro deve ser combatido para que a "minha verdade" prevaleça?

Diariamente enfrentamos conflitos em razão das nossas diferenças. Não é necessário gostar de quem tem crenças,  valores e hábitos diferentes dos nossos, basta  respeitar. Mas geralmente o que se estabelece entre as pessoas é um "duelo de egos", em que todo mundo quer ter razão ou vangloriar-se de que a sua "verdade" é a melhor de todas.

Por Adriana Pinho Gomes


terça-feira, 15 de setembro de 2015

O quanto você suporta a felicidade e o sucesso alheios?
A luz do outro te causa desconforto?
Você consegue contracenar no papel de coadjuvante?
Você consegue ficar em paz quando o outro está brilhando?
Você precisa depreciar o outro para se sentir bem consigo mesmo?
Você tem coragem  para assumir que o sucesso alheio te incomoda?
Ou você, do alto de seu orgulho,  acredita que só os outros têm inveja?
Você consegue apenas contemplar a vida? Ou você precisa estar “produzindo” algo o tempo todo, nem que seja apenas barulho, para não entrar em contato com o que você sente?
O quanto você suporta o seu silêncio? E o silêncio alheio, te pesa a alma?

O quanto você realmente percebe o outro como alteridade e não apenas projeta nele o seu próprio ego?
Você consegue reconhecer o lado bom do outro em qualquer circunstância, ou apenas quando ele está pedindo socorro?
O quanto você realmente acredita no bem e suporta o bem?
O invejoso sofre com o bem e não com o mal.
A inconsciência da inveja nos torna alienados.
O antídoto? Consciência que nos possibilita perceber o tempo todo o bem e o mal existente em si e no mundo. Consciência de que sempre haverá  alguém melhor ou pior  que você, depende do aspecto considerado. Mas a meta é evoluir, superando suas próprias limitações e certo de que  você é único em todo o universo.
Por Adriana Pinho Gomes

terça-feira, 8 de setembro de 2015

quinta-feira, 3 de setembro de 2015